Saiba quem foi Maria Montessori, a inventora do Material Dourado

14/10/2016

Maria Montessori – (1870-1952)

Maria Montessori nasceu na Itália em 1870 e foi, além de educadora, a primeira mulher a se tornar médica fisioterapeuta, pela Universidade de Roma.

Ela ficou conhecida pelo seu método inovador de ensino, com auxílio de materiais específicos que favoreciam o protagonismo da criança no seu processo de aprendizado.

Tudo começou quando Montessori criou o Material Dourado para trabalhar com crianças que tinham algum problema no aprendizado – portanto, ela queria a igualdade entre as crianças, dedicando-se a mostrar que essas crianças não precisavam apenas de tratamento médico, mas de educação.

Ao longo do tempo, notou que aquelas crianças, graças ao método adaptado, conseguiam acompanhar as outras crianças, e percebeu uma defasagem na educação destas, por isso decidiu construir um sistema que ajudasse não só crianças com problemas especiais, mas todas as crianças.

Assim, pouco a pouco, o método Montessori, que consiste em harmonizar a interação de forças corporais e espirituais, corpo, inteligência e vontade, difundi-se pelo mundo.
Dentre as suas principais publicações estão “Desenvolvimento do Método Montessori”, de 1917, “O Método Montessori”, de 1912 e “A Descoberta da Criança”, de 1909. Para a Matemática, Maria Montessori é lembrada pela criação do material dourado.

 

LINHA DO TEMPO DE MARIA MONTESSORI

  •       Nasceu em 30 de agosto de 1870, na Itália;
  •       Foi a primeira mulher médica italiana;
  •       Estudou as crianças com deficiências psíquicas;
  •       Criou, em 1907, a primeira “Casa dei Bambini”, para crianças sem distúrbios, inovando em tudo os aspectos pedagógicos;
  •       Criou um método de ensino que abrange, hoje, da gestante, até ao bebê, à criança, ao adolescente, e ao professor especializado;
  •       Desenvolveu uma filosofia de autoeducação através da cultura, da responsabilidade e da libertação das potencialidades profundas do ser;
  •       Utilizou materiais concretos para representar conceitos abstratos;
  •       Lutou para uma nova concepção para infância, participando da elaboração do documento sobre os Direitos da Criança;
  •       Disse sempre que a metodologia  que leva seu nome não estava concluída e que sua estrutura sempre permitiria adequações à cultura e à sociedade diversa;
  •        Responsabilizou a família, a escola e a sociedade pelo futuro do ser e da humanidade.

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *